NSP

As Novas Substâncias Psicoativas (NSP) são chamadas “novas” porque se tratam de compostos químicos ou orgânicos recentes. Geralmente, são produzidas em laboratórios ilegais. Para já, estas drogas ainda não são controladas por qualquer legislação nacional ou internacional. Contudo, as “novas” substâncias também podem ser drogas já existentes que são “redescobertas” e novamente disponibilizadas no mercado de drogas ilegais. Ou ainda, drogas que podem ser utilizadas de formas novas: algumas drogas utilizadas na medicina são agora (também) usadas para fins recreativos. Geralmente, as NSP são drogas sintéticas, mas também podem ser de origem vegetal. São tipicamente conhecidas por “legal highs” (nem sempre corretamente!), “drogas de designer” ou “substâncias químicas de investigação”.

As NSP são geralmente criadas como sendo uma “imitação” de uma substância controlada já existente e concebidas para imitar os efeitos da droga original, evitando a sua classificação como substâncias ilegais e/ou a sua deteção em testes de drogas comuns.

A segurança destas substâncias não foi avaliada em testes realizados em humanos ou animais. Por essa razão, não se sabe muito acerca dos seus efeitos concretos, da dosagem nem das consequências do consumo da maioria destas drogas. O seu consumo pode produzir efeitos secundários indesejados e perigosos. Vale sempre a pena ter um cuidado extra com estas novas drogas.
Existem centenas de drogas diferentes a que se chama NSP e quase todas as semanas surgem novas drogas. Existem também várias formas de dividir este tipo de drogas em grupos. Uma dessas formas é a “Roda das Drogas”, desenvolvida pela associação britânica DrugWatch, que se baseia na legislação do Reino Unido. No nosso site utilizamos uma abordagem semelhante:

Podes consultar uma descrição dos diferentes grupos de NSP na página (link para http://mindyourtrip.wildezee.nl/nps-divided-in-groups/)